terça-feira, 30 de novembro de 2010

frases de LEONARD RAVENHILL


"Se somos fraco na oração, nós somos fracos em toda a parte."

"Homens dão conselhos; Deus dá orientações."

"As coisas pelas quais você está vivendo por são dignas de Cristo morrer por?”

"Um homem pecador pára de orar, um homem de oração pára de pecar"

"A única razão pela qual não temos avivamento é porque estamos dispostos a viver sem ele!"

"A oportunidade de uma vida deve ser apreendido dentro da vigência do oportunidade."


"Como você pode derrubar as fortalezas de Satanás, se você não tem nem a força para desligar a TV?"

"Muitos pastores me criticam por ter tomado o Evangelho tão a sério. Mas será que realmente pensam que no Dia do Julgamento, Cristo vai castigar-me, dizendo," Leonard, você me levou muito a sério'? “

"Quando há algo na Bíblia que as igrejas não gostam, eles o chamam de ‘legalismo’."
"Se Jesus tivesse pregado a mesma mensagem que os ministros de hoje pregam, ele nunca teria sido crucificado."

"A minha maior ambição na vida é estar na lista dos mais procurados do Diabo."

"Existe uma diferença entre mudar sua opinião, e mudar seu estilo de vida.”

"Um evangelista popular atinge suas emoções. Um verdadeiro profeta alcança sua consciência."

"Um verdadeiro pastor conduz o caminho. Ele não somente indica o caminho."

"Nenhum homem é maior do que sua vida de oração. O pastor que não está orando está brincando, as pessoas que não estão orando estão desviando. O púlpito pode ser uma vitrine para mostrar os talentos de uma pessoa; já o quarto de oração não permite nenhum exibicionismo.”

"Se eu perguntar se você esta noite está salvo? Você diz: ‘Sim, estou salvo'. Quando? ‘Oh, fulano de tal pregou, e eu fui batizado e... '
Você está salvo? Do que você está salvo? Do Inferno?
Você está salvo da amargura?
Você está salvo da luxúria?
Você está salvo da trapaça?
Você está salvo da mentira?
Você está salvo dos maus costumes?
Você está salvo da rebelião contra seus pais?
Vamos lá, do que você está salvo?”

"Algumas mulheres vão passar trinta minutos à uma hora se preparando externamente para a igreja (colocando maquiagem e roupas especiais, etc.). O que aconteceria se todos nós gastássemos a mesma quantidade de tempo nos preparando internamente para a igreja - com oração e meditação?"

"Todo mundo reconhece que Estevão era cheio do Espírito quando estava realizando maravilhas. Porém, ele era igualmente cheio do Espírito quando estava sendo apedrejado até a morte."

"Sua doutrina pode ser tão reta como uma arma - e tal qual vazia!"

"E não há espaço para ele na estalagem.
Ele ficou um pouco mais velho e não havia espaço na sua família. Sua família não creu nEle. Ele foi ao templo. Não havia nenhuma sala no templo. O templo ficou contra ele. E quando Ele morreu não havia espaço para enterrá-lo. Ele morreu fora da cidade.
Pois bem por que, em Nome de Deus, você espera de ser aceito em toda parte?
Como é que o mundo não pôde suportar o Homem mais santo que já viveu e pode suportar a você e em mim?
Será que estamos comprometidos? Será que estamos comprometidos?
Será que não temos estatura espiritual?
Será que nossa retidão não reflete sobre a corrupção deles?“

"Existem apenas dois tipos de pessoas: os mortos em pecado e os mortos para o pecado."

"Que bem faz falar em línguas no domingo, se você esteve usando sua língua durante a semana para amaldiçoar e fofocar?"

"Será que enviamos as nossas filhas ao largo para ter relações sexuais se isto iria beneficiar o nosso país? Contudo, enviamos os nossos filhos para matar quando pensamos que isto iria beneficiar o nosso país!"

"Se um cristão não está tendo tribulação do mundo, há algo errado!"

"Será que o mundo está crucificado para você esta noite? Ou será que ele o fascina?”

"Esse mundo lá fora não está esperando uma nova definição de Cristianismo, está esperando uma nova demonstração de Cristianismo.”

“A Igreja costumava ser um barco resgatando os que perecem. Agora, ela é um cruzeiro recrutando o promissor.”

"Você pode ter todas as suas doutrinas de forma correta, muito embora ainda não tenha a presença de Deus.”

"A questão não é se você foi desafiado. A questão é: ‘você foi transformado’?"

Você é Importante para Deus1

Tropa de Eleito Parte 2

EMAIL PARA CONTATO

matheus.sylveyra@hotmail.com

FOTOS















ESTUDOS

Estudo Sobre Intercessão

A intercessão é uma responsabilidade do cristão.
Devemos compreendê-la profundamente e o livro de Daniel é uma ferramenta fundamental que nos ensina com detalhes esta tarefa que nos cabe.
A intercessão é uma responsabilidade do cristão.
Devemos compreendê-la profundamente e o livro de Daniel é uma ferramenta fundamental que nos ensina com detalhes esta tarefa que nos cabe.

Interceder

1. Pedir, rogar, suplicar (por outrem); intervir (a favor de alguém ou de algo) Intervir
V. t. i.
1. Tomar parte voluntariamente; meter-se de permeio, vir ou colocar-se entre, por iniciativa própria; ingerir-se: &
2. Interpor a sua autoridade, ou os seus bons ofícios, ou a sua diligência:
3. Ser ou estar presente; assistir.
V. int.
4. Ocorrer incidentemente; sobrevir:
5. Tomar parte voluntariamente, meter-se de permeio, em discussão, conflito, etc.:

Contexto

O estudo está no livro de Daniel! Tudo o que precisamos está ali.
Daniel era príncipe do seu povo, nós somos príncipes e sacerdotes do reino de Jesus Cristo.
Daniel estava no exílio da Babilônia, mas era judeu, assim como nós estamos no mundo, mas não pertencemos a este mundo.
Bases da intercessão
• Condição
• Santificação
• Estratégia
• Capacitação
• Características do Intercessor
• Revelação
• Oração
Estas bases são essenciais para a intercessão e devemos buscá-las para que obtenhamos o resultado esperado, não necessariamente o nosso, contudo principalmente o de Deus. Nenhuma delas pode faltar. Devemos buscá-las em Deus para cada objetivo de intercessão.
Tenhamos em mente que não poderemos ir para o campo de batalha sem preparação. Podemos ver isso até em filmes como o Robin Hood, ele treinou bastardos para vencer o rei. Sem preparação não chegamos a lugar nenhum. Por isso preparemo-nos para a batalha através das 4 primeiras bases, que são: Condição, Santificação, Estratégia e Capacitação.

Fase de preparação

Condição

Nem todos podem ser intercessores, pois Deus mesmo incomoda aqueles que Ele escolheu. Em Daniel o rei Aspenaz escolhe sábios entre o povo cativo, para ajudar na sua administração, e acaba nos dando uma lista da condição de um bom intercessor:
DN 1:3 - E disse o rei a Aspenaz, chefe dos seus eunucos, que trouxesse alguns dos filhos de Israel, e da linhagem real e dos príncipes,
DN 1:4 - Jovens em quem não houvesse defeito algum, de boa aparência, e instruídos em toda a sabedoria, e doutos em ciência, e entendidos no conhecimento, e que tivessem habilidade para assistirem no palácio do rei, e que lhes ensinassem as letras e a língua dos caldeus.

Santificação

Mesmo Daniel sendo escolhido de acordo com a condição, ele sabia que sua força não estava no seu conhecimento ou braço, mas no Senhor dos Exércitos, por isso decidiu não se contaminar com a comida do rei. Isso significa que devemos nos separar da contaminação do mundo, da sua facilidade, pois se tivermos "rabo preso" como poderemos interceder?
DN 1:8 - E Daniel propôs no seu coração não se contaminar com a porção das iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não se contaminar.
A santificação para a intercessão pode ser comparada ao ato do sacerdote de se lavar com água, antes de iniciar seus trabalhos. A água representa a palavra de Deus. Devemos nos encher da Palavra para que possamos tirar de nós impurezas que nos prejudiquem não só para intercessão mas para a nossa vida.

Estratégia

Isso é muito importante. Sejamos simples como a pomba e prudentes como a serpente.

MT 10h16min - Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas.

Não podemos lutar sem armas, sem estratégia. Quando escolhemos nos santificar, é certo que muitas coisas aparecerão para nos atrapalhar, e não poderemos perder tempo com isso. Solicitemos a Deus uma estratégia para nos mantermos santificados a quaisquer custos, nos livrando do esquema mundano.

DN 1:9 - Ora, Deus fez com que Daniel achasse graça e misericórdia diante do chefe dos eunucos.
DN 1:10 - E disse o chefe dos eunucos a Daniel: Tenho medo do meu senhor, o rei, que determinou a vossa comida e a vossa bebida; pois por que veria ele os vossos rostos mais tristes do que os dos outros jovens da vossa idade? Assim porias em perigo a minha cabeça para com o rei.
DN 1:11 - Então disse Daniel ao despenseiro a quem o chefe dos eunucos havia constituído sobre Daniel, Hananias, Misael e Azarias:
DN 1:12 - Experimenta, peço-te, os teus servos dez dias, e que se nos dêem legumes a comer, e água a beber.
DN 1:13 - Então se examine diante de ti a nossa aparência, e a aparência dos jovens que comem a porção das iguarias do rei; e, conforme vires, procederás para com os teus servos.
DN 1:14 - E ele consentiu isto, e os experimentou dez dias.
DN 1:15 - E, ao fim dos dez dias, apareceram os seus semblantes melhores, e eles estavam mais gordos de carne do que todos os jovens que comiam das iguarias do rei.

A estratégia também fará parte da oração de intercessão, mas esta deve ser buscada através da revelação dada por Deus, pois aí já estaremos em batalha.

Capacitação

Após obtermos a estratégia de santificação temos que nos capacitar para a intercessão. Não sabemos, por exemplo, o quanto de santificação será necessário para aquela situação. A nossa vontade inicial é de sair orando, expulsando tudo que vier pela frente. Não é assim que funciona. Daniel ficou ainda 3 anos até ser apresentado ao rei. Jesus mesmo disse que certas castas de demônios só poderão ser expulsas com oração e jejum.
MT 17:21 - Mas esta casta de demônios não se expulsa senão pela oração e pelo jejum.
De acordo com a estratégia, poderá ou deverá ser feito um jejum.
DN 9:3 - E eu dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e súplicas, com jejum, e saco e cinza.

Características do intercessor
• Amor – Fruto do Espírito, força de Deus que é amor; Compaixão – O intercessor não deve julgar o irmão, a comunidade ou a causa pela qual intercede;
• Identificação - Assume para si a dor e a necessidade do outro e/ou da comunidade;
• Perseverança – Ora sem cessar;
• Ousadia na fé – Pede, suplica, insiste porque crê na vitória. Acredita que Deus sabe tudo e fará o melhor;
• Humildade – Sabe que se a oração é ouvida por Deus não é devido aos seus méritos, mas porque Deus é misericordioso;
• Discernimento – Para fazer a vontade de Deus e para identificar se algo é humano, divino ou do Maligno. O Espírito Santo em nós é quem dá o discernimento, o qual vamos adquirindo à medida que buscamos uma maior comunhão com o Espírito e nos tornamos sensíveis à sua voz;

Fase de ação

Revelação

Devemos repetir os passos anteriores até que cheguemos naturalmente na revelação. Para isso irmão, entendamos que revelação é ao mesmo tempo um processo e um resultado. Se uma revelação é parcial, ela não deve ser usada. Uma revelação tem de ser provada, principalmente pela Palavra de Deus. Peçamos confirmação a Deus, para que não sejamos confundidos pelo diabo, pois ele pode se disfarçar. Afinal, se nossa causa é justa, o diabo será incomodado, qual seria a estratégia do inimigo?
1JO 4:1 - AMADOS, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.
Se a revelação não é completa ela ainda é um processo e não um resultado, devemos continuar, perseverar até termos algo revelado e confirmado.
Tudo isso deve ser regado com muita oração, santificação através da palavra de Deus e diligência.
Estude o capítulo 2 de Daniel.

Oração

Agora chega a hora da batalha. Munidos de nossa arma, a Palavra de Deus revelada pelo Espírito Santo, santificados por ela, estrategicamente posicionados diante de Deus, é chegada a hora de nos apresentarmos para a batalha. É irmão é isto mesmo uma batalha será travada, um bom combate, um combate que a vitória é certa, pois o inimigo já estará vencido, pois se Deus revelou o que se encontra por trás da situação, já revelou a confirmação através da Bíblia, só nos resta pedir que venha o Reino de Deus sobre aquela situação. Normalmente existe pecado que deve ser retirado, pela misericórdia de Deus. Veja em Daniel um completo exemplo de oração intercessora no capítulo 9. Ele se coloca em oração, em primeira pessoa do plural. Ele pede perdão pelo povo, mas se coloca como pecador, cometedor do mesmo pecado do povo. Mesmo que ele não tenha feito, ele se coloca na brecha, ele se arrepende de algo que pode não ter feito, ele se coloca no mesmo lugar.
Você já ouviu isso antes?
Jesus se colocou no nosso lugar, e intercede por nós. Interceder por outros é a mesma coisa.
Por isso irmãos, não podemos fazê-lo que qualquer jeito, se não sofreremos as mesmas conseqüências.
E uma vez que definimos de que lados nós estamos, não poderemos mais "marcar bobeira".
Não poderemos mais ir ao estádio, num jogo do Corinthians, com a camisa do Palmeiras, senão apanharemos de verde e amarelo.
Olha, sou testemunha do que aconteceu com a empresa onde trabalho, muita coisa mudou.
As movimentações que Deus fez foram incríveis, sem falar nas conversões. Por isso interceder é preciso.
Vamos lutar por uma família melhor, uma igreja melhor, um bairro melhor, uma cidade melhor, um estado melhor, um país melhor e um mundo melhor.

O que é Intercessão

Interceder é colocar-se no lugar de outro e pleitear a sua causa, como se fora sua própria. É estar entre Deus e os homens, a favor destes, tomando seu lugar e sentindo sua necessidade de tal maneira que luta em oração até a vitória na vida daquele por quem intercede.
Há muitas definições que nós poderíamos dar sobre intercessão. A mais simples está na Bíblia: "Orai uns pelos outros" (tg. 5:16). Ela está cheia de exemplos: Abraão suplicou por Ló e este foi liberto da destruição de Sodoma e Gomorra; Moisés intercedeu por Israel apóstata e foi ouvido; Samuel orou constantemente pela nação; Daniel orou pela libertação do seu povo do cativeiro; Davi suplicou pelo povo; Cristo rogou por Seus discípulos e fez especial intercessão por Pedro; Paulo é exemplo de constante intercessão. Toda a Igreja é chamada ao fascinante ministério da intercessão.
O intercessor é o que vai a Deus não por causa de si mesmo, mas por causa dos outros. Ele se coloca numa posição de sacerdote, entre Deus e o homem, para pleitear a sua causa.

Intercessão é dar à luz no reino do espírito às promessas e propósitos de Deus. É uma oração para que a vontade de Deus seja feita na vida de outros; é descobrir o que está no coração de Deus e orar para que isso se manifeste.
Deus levanta hoje um verdadeiro exército de intercessores. Ele está para trazer à Terra o maior derramamento do Espírito já testemunhado. Para tanto, Seu Espírito traz ao Corpo de Cristo um peso de intercessão, pois a oração intercessória é a ferramenta usada por Ele para manifestar na vida dos homens Seus poderosos feitos.

Interceder é ver a necessidade da intervenção de Deus nas mais diversas situações. É captar a mente de Cristo, de modo a ver as circunstâncias como Cristo as vê, e unir-se a Ele em súplica para que Deus se mova de tal maneira que Sua vontade e propósito Divinos sejam cumpridos nas vidas dos homens e das nações.

Interceder é combater

O primeiro aspecto da intercessão, é de combate. Você vai perguntar: Por que combate na intercessão? Saiba que não é Deus Quem retém as bênçãos do Seu povo. Muita gente pensa que Ele é o nosso problema. Absolutamente não! Ele não é o meu problema, é a fonte da minha benção. O ladrão é quem procura segurar a benção no caminho. Suponhamos que eu tenha dado uma Bíblia para o Antônio e o José a tenha segurado, impedindo que ela chegue ao seu verdadeiro destino. Onde está a Bíblia? Já a despachei para o Antônío. Se ela ainda não está em suas mãos, onde irá procura-la? Contra quem irá lutar? Contra mim, ou contra quem reteve a Bíblia? É claro que é contra o José.

Deus já despachou do Céu tudo quanto é necessário para uma vida de vitória. Tudo é meu em Cristo Jesus. Ele já pagou o preço para que eu tenha a vitória, paz, saúde, prosperidade. Tudo o que é de Deus é meu. Seus tesouros são meus, em Cristo Jesus. Por que, então, vivo na miséria, preso, derrotado, oprimido, amarrado? Alguém segurou a minha benção no caminho e agora nós vamos brigar. É a vez de voltar-me para o inimigo e declarar: "Se Cristo pagou o preço, seu atrevido, tira a mão de cima, porque eu vou entrar agora na batalha, na autoridade de Cristo Jesus". Este é um aspecto da intercessão, paga, ir contra. Se o ininimigo chegar perto, ele vai ver que o justo é ousado como um leão. É a essa atitude que chamamos de combate espiritual e eis aí por que chamamos o intercessor de guerreiro de oração.

O intercessor se coloca face a face com Deus e face a face com Satanás. Quanto mais você intercede, mais verá a cara do inimigo, como é feia. Haverá guerra! Mas glória a Deus, porque quanto mais você combate, mais se transforma em um guerreiro firme, que não tem medo da batalha. Quando vem a guerra, você está de prontidão, arregaça as mangas e vai à luta. Por quê? Porque você já sabe que Satanás está derrotado. Essa é uma luta cuja vitória já foi ganha na cruz do Calvário há dois mil anos atrás; e como Morris Cerullo gosta de dizer, "tudo o que eu tenho que aprender é como vencer um ininimigo que já está derrotado." Satanás nenhuma autoridade tem sobre você meu irmão, nenhuma. Só aquela que você lhe der. Mas se você nada lhe der, ele nada terá. Ele não tem armas legítimas para lutar contra você; porém você as tem. Você tem armas poderosas em Deus para enfrenta-lo e vencê-lo. Ele tem uma boca grande, fala muito alto e faz a guerra com um pacote de mentiras, procurando trazê-las aos seus ouvidos, a fim de enfraquecer o seu espírito de combate. Todavia, se você conhece as suas maquinações, e não lhe dá ouvidos, não se rebaixa para ouví-lo, porque o lugar dele é debaixo dos seus pés, ele será para você um inimigo derrotado. Não se impressione com o rugir inimigo. Faz muito barulho, ruge como um leão, mas não é um leão. Jesus é quem é o Leão da tribo de Judá, e ele procura imitá-LO, mas só faz barulho, só ruge. É como na história do peregrino: quando ele chega para entrar no castelo, feliz depois de vencidos tantos obstáculos, encontra um leão na porta de entrada. Logo, porém, descobre que este está amarrado, não faz nada, só mete medo, intimida com sua presença e seu rugir. Não tenha medo do falso leão, pois está sob o controle do Altíssimo, em nome de Jesus.

O cristão como intercessor

"Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de, súplicas, orações e intercessões, ações de graça, em favor de todos os homens" (1 Tm. 2:1).
"...e orai [também] uns pelos outros, para serdes curados e restaurados [a um vigor espiritual de mente e coração]. A fervorosa (sincera, continua) oração do justo torna um tremendo poder disponível (dinâmico em sua operação)" (Tg. 5:16 - Amp).

O intercessor é aquele que se coloca entre Deus e (os homens, a favor destes, para pleitear sua causa, como se fosse própria. É aquele que se coloca entre vivos e mortos para que cesse a praga (Nm, 16:48). É aquele que tem o seu espírito afinado ao Espírito de Deus e consegue captar os pesos do Seu coração e se devota a orar por outros, sob Sua liderança, até que o cetro de Deus se levante, isto é, até que a causa seja ganha.

A intercessão visa alterar circunstâncias contrárias à vontade perfeita de Deus, levando-as a se harmonizarem com a mesma. O crente é o canal de Deus na terra, não só da proclamação da Sua Palavra, da Sua vontade e obra da Redenção, mas também de intercessão. Como isso funciona? Sintetizando o que estamos procurando transmitir, diríamos:

1 - Deus tem um propósito para o homem em Seu coração. Esse propósito tem sido revelado na Bíblia e em Cristo.

2 - Jesus intercede junto ao Pai de acordo com esse propósito. Como representante do homem no Céu, Jesus fala por ele.

3 - O Espírito Santo ouve o que Jesus fala e revela Seus desejos ao espírito do crente. É ali que Ele habita e faz o elo de ligação entre Deus e o cristão. Ele traz o que está no coração de Deus para o coração do crente.

4 - O intercessor fala e ora em linha com a revelação recebida pelo Espírito Santo. Quando ele abre a boca para orar movido pelo Espírito, uma perfeita harmonia se estabelece entre o Céu e a terra.

5 - É desencadeada a manifestação do poder de Deus nas circunstâncias a serem alteradas e que foram objeto de oração, provocando uma mudança.

O Chamado à Intercessão

Todo cristão é chamado a exercer o sacerdócio. Sacerdote é o que se coloca diante de Deus no lugar do homem, levando suas necessidades à presença dAquele que somente pode intervir miraculosamente na vida da raça humana, l Pedro 2:9 declara:

"Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para Sua maravilhosa luz."

Ocupar a função sacerdotal implica necessariamente em ministrar a Deus a favor dos homens. É verdade que todos têm acesso à Deus, através de Cristo Jesus, porém é também verdade que a Bíblia nos exorta a orar uns pelos outros e fazer súplicas e intercessões por todos os homens. É um imperativo, um chamado, um dever, um privilégio. Por causa de tudo quanto já estudamos, é premente a necessidade de intercessores.

Você poderá dizer: Mas Deus já não proveu Jesus, como nosso intercessor? Isso não basta? Não, isso não basta. A terra é ainda dos filhos dos homens e é nela que as batalhas se travam. Em Cristo temos uma aliança com Deus, mas ainda é através dos homens que tudo se realiza na terra. O que acontece com Cristo, como o Intercessor provido pelo Pai, é que Ele tem autoridade de nos representar diante de Deus e, pelo Seu Espírito, tanto mudou nossa natureza, nos regenerou, elevando-nos à posição de filhos de Deus, como vive em nós. Isso nos garante uma presença sobrenatural para nos guiar num viver de acordo com Seus propósitos. Por causa do Espírito Santo em nós, que nos revela todas as coisas, podemos agora falar e orar em perfeita linha com a vontade do Pai. Mas coloque isso em seu coração: Você e eu somos a boca através da qual o Espírito Santo vai orar na terra o que Jesus ora no Céu. Através de nós, Ele intercederá com "gemidos inexprimiveis."

Convém a esta altura salientar que assim como Satanás só opera na terra, porque encontra o consentimento dos homens, Deus também opera na terra através do mesmo consentimento e instrumentalidade. Temos que abrir a boca aqui e dizer o que Deus diz no Céu, e é quando essa harmonia acontece, que as circunstâncias mudam, vidas são arrancadas do inferno, avivamentos rompem, cadeias são quebradas, Deus é temido, obedecido e glorificado.

A Intercessão é Prioridade

A intercessão deve ser uma das prioridades da vida do cristão. Todo crente é chamado a interceder. Há pessoas que têm um ministério de intercessão, com uma unção especial para tanto, mas cada crente tem uma vocação de Deus para interceder; É um imperativo. Quem não o faz, não exerce seu sacerdócio. Paulo é enfático ao dizer:

"Antes de tudo, pois, morto que se use a prática de súplicas, orações e intercessões, ações de graça, em favor de todos os homens " (1 Tm. 2:1).

Fazer intercessões e súplicas por todos, deve ser uma prática em nossa vida. Insistimos no princípio: Deus nada faz na terra, a não ser por meio da intercessão. Amado, nós temos que nos arrepender da nossa falta de intercessão. Cada oração nossa realiza alguma coisa no reino do espírito. Um dia que passamos sem interceder, é um dia em que perdemos a oportunidade de criar alguma coisa no mundo espiritual, com conseqüências no mundo natural, sendo que esta oportunidade não mais voltará.

Muitas crises surgem em nossas vidas por falta de oração. Muitas vezes o Espírito nos traz uma direção, uma luz ou impressão, mas não queremos nos devotar à intercessão e, então, sofremos, desastres acontecem na vida de outros, almas vão para o inferno e angústias que poderiam ter sido evitadas pela oração, dilaceram muitas almas.
Somos chamados a interceder! Não responder a esse chamado do Trono é estar em pecado. O profeta Samuel, diante do pedido do povo para que clamasse a seu favor, para que não morressem por causa dos seus próprios pecados, fez uma tremenda declaração que deveria ser um desafio para nós também:

"E quanto a mim, longe de mim esteja o pecar contra o Senhor, deixando de orar por vós; eu vos ensinarei o caminho bom e direito" (1 Sm. 12:23).

Deus tem um propósito para o homem em Seu coração, e precisa dos Seus filhos para que esse propósito se estabeleça.
E o que é intercessão senão trazer a vontade de Deus à vida dos homem, da Igreja e das nações? Se entendermos isso, não esperaremos sobrar um tempinho para orar, mas faremos da intercessão uma das prioridades em nossa vida.

Intercessão sem limites
Por Derek Prince

`Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graça, em favor de todos os homens´ (1 Tm 2.1).

Paulo nos declara que a primeira prioridade de uma assembléia cristã é a oração.

Ele menciona diversas formas de oração, uma das quais é a intercessão. Interceder significa literalmente “interpor-se, colocar-se entre”. O intercessor é aquele que se coloca entre Deus e os que merecem sua justa ira e castigo. O intercessor levanta suas mãos a Deus e diz:

`Deus, estas pessoas merecem seu juízo; tu tens todos direito de feri-las; mas se a ferires, terás de ferir a mim primeiro, pois coloquei-me entre ti e eles´. No Velho Testamento encontramos diversos relatos de cidades e nações que foram poupadas do juízo divino através do ministério de um intercessor.

Estudaremos alguns desses exemplos, mas primeiro consideremos o ministério de intercessão na vida do nosso Senhor Jesus Cristo.

INTERCESSÃO NO MINISTÉRIO DE JESUS

Intercessão era uma das grandes marcas do ministério de Jesus. O capítulo 53 de Isaías descreve sua obra expiatória e conclui com este versículo:

`Por isso eu lhe darei muitos como a sua parte e com os poderosos repartirá ele o despojo, porquanto derramou a sua alma na morte; foi contado com os transgressores, contudo levou sobre si o pecado de muitos, e pelos transgressores intercedeu.´

Há quatro fatos registrados neste versículo a respeito de Jesus. Primeiro, ele derramou a sua alma na morte. Levítico 17.11 diz que a alma de toda carne esta no sangue, portanto Jesus derramou sua alma na morte quando derramou seu sangue.

Segundo, ele foi contado com os transgressores; ele foi crucificado com os dois ladrões. Terceiro, levou sobre si o pecado de muitos; tornou-se a oferta pelo pecado por todos nós. Quarto, pelos transgressores intercedeu; isto ele fez na cruz quando disse:

`Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem´. Ele estava dizendo: `Que o juízo que eles merecem caia sobre mim´, E assim foi.

Hebreus 7 fala de Jesus depois da sua morte, ressurreição e ascensão. Somos informados que Jesus é nosso sumo sacerdote à destra de Deus. Por ter um sacerdócio imutável que nunca passará dele, Jesus `pode salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles´ (Hb 7:25).

Se fizermos um estudo da vida e ministério de Jesus, chegaremos a um contraste bem interessante: ele passou trinta anos na obscuridade, numa vida familiar perfeita; três anos e meio num dramático ministério público; e praticamente dois mil anos em intercessão, invisível aos olhos naturais.

Desde que subiu aos céus, ele está intercedendo por nós diante do Pai.

MODELOS DO VELHO TESTAMENTO: ABRAÃO

Os maiores santos eram freqüentemente os maiores intercessores, pois eram os homens mais próximos ao coração de Deus.

O Velho Testamento contém exemplos de alguns grandes intercessores. O primeiro exemplo é Abraão. Em Gênesis 18 vemos o Senhor com mais dois anjos chegando para visitar a tenda de Abraão. No final deste episódio o Senhor diz:

`Ocultarei a Abraão o que estou para fazer?´ Em outras palavras, o Senhor vê Abraão como o seu íntimo amigo pessoal com quem ele compartilhará seus planos e pensamentos. Por isto o Senhor conta para Abraão:

`Com efeito o clamor de Sodoma e Gomorra tem-se multiplicados e o seu pecado se tem agravado muito. Descerei, e verei se de fato o que têm praticado corresponde a esse clamor eu é vindo até mim; e, se assim não é, sabê-lo-ei´ (Gn 18.20-21).

Abraão estava muito preocupado com Sodoma porque seu sobrinho, Ló, estava morando lá. Abraão sabia que se Sodoma fosse julgada, Ló e sua família sofreriam com os demais. A cena continua assim:

`então partiram dali aqueles homens (anjos), e foram para Sodoma; porém Abraão permaneceu ainda na presença do Senhor (para impedi-lo).

`E aproximando-se ele, disse: Destruíras o justo com o ímpio? Se houver, porventura, cinqüenta justos na cidade, destruirás ainda assim, e não pouparás o lugar por amor dos cinqüenta justos que nela se encontram? Longe de ti o fazeres tal cousa, matares o justo com o ímpio, como se o justo fosse igual ao ímpio; longe de ti. Não fará justiça o Juiz de toda a terra? (vv. 23-25).

Abraão tinha que ter muita coragem para falar com o Senhor desta maneira. Porém, ele sabia que seria uma contradição total do caráter de Deus, e da sua justiça, permitir que juízo caísse sobre os justos.

Salmo 91.7,8 estabelece este princípio: `Caiam mil ao teu lado, e dez mil à tua direita; tu não serás atingido. Somente com os teus olhos contemplarás, e verás o castigo dos ímpios´. Seja qual for o justo juízo que cair sobre os ímpios, os justos nunca serão tocados. O justo pode estar exatamente no meio de tal juízo, mas este não virá sobre ele.

Note, porém, que há uma diferença entre juízo e perseguição por causa da justiça. A Bíblia diz que os justos hão de experimentar perseguição. A diferença é que juízo por causa do pecado vem sobre os ímpios pela instrumentalidade de Deus; e perseguição por causa de justiça vem sobre os justos através dos ímpios.

Portanto com santa ousadia e intensa convicção que Deus tinha que ser absolutamente justo, Abraão se pôs a confrontar o Senhor com este princípio: `Senhor, se houver cinqüenta justos na cidade, pouparás a cidade?´ o Senhor respondeu a Abraão que pouparia a cidade se cinqüenta justos pudessem ser encontrados.

`E quarenta e cinco? Poupá-la-ás por quarenta e cinco justos?´ E o Senhor disse que a pouparia se quarenta e cinco pessoas justas pudessem ser encontradas nela. E assim foi a conversa... quarenta, trinta, vinte, até que Abraão chegasse finalmente à sua última reivindicação:

`Se, por ventura, houver somente dez pessoas justas em toda aquela cidade? Poupá-la-ás pelas dez?´ E o Senhor respondeu que a pouparia por dez pessoas justas.

Esta é uma tremenda revelação! Se os meus cálculos forem corretos, Sodoma era uma cidade grande para aquela época, com uma população não inferior a 10.000. Por amor a dez pessoas no meio de 10.000, Deus estava pronto para poupar a cidade inteira.

Isto é uma pessoa em cada mil! Jó 33.23 registra esta mesma proporção: `Se com ele, pois, houver um anjo, um intérprete, um entre mil, para declarar ao homem o que lhe é justo...´ Eclesiastes 7:28 semelhantemente afirma: `Cousa que a minha alma ainda busca, mas não a achei: um homem entre mil´.

Um entre mil! A Bíblia aparentemente usa esta expressão para identificar um homem extraordinariamente justo. Deus disse: `Se eu puder encontrar em Sodoma uma pessoa justa em cada mil, pouparei a cidade inteira´.

Por exemplo, se aplicássemos esta proporção aos Estados Unidos hoje, precisaríamos de aproximadamente 210.000 pessoa extraordinariamente justas para obter misericórdia em favor de toda a nação. Você qualificaria como uma dessas 210.000 pessoas? Eu qualificaria?

A INTERCESSÃO DE MOISÉS

Nosso segundo exemplo de intercessor é Moisés. Em Êxodo 32 vemo-lo subindo o Monte Sinai para receber a aliança de Deus. Depois de estar ausente muitos dias, o povo tornou-se impaciente e insistiu com Arão para fazer deuses que eles pudessem adorar.

Então Arão tomou as argolas de ouro e fez um bezerro fundido, em torno do qual Israel começou a dançar e adorar. Enquanto isto acontecia no arraial, Deus falou com Moisés no monte e disse:

`Vai, desce; porque o teu povo, que fizeste sair do Egito, se corrompeu, e depressa se desviou do caminho que lhes havia eu ordenado; fizeram para si um bezerro fundido, e o daram...´ (vv. 7,8).

Neste momento tenso quando o destino de Israel estava na balança, encontramos um elemento de humor na conversa que se seguiu entre Deus e Moisés. Referindo-se a Israel, Deus fala com Moisés que eles são `teu povo´.

Mas Moisés, não querendo aceitar esta responsabilidade, devolve-a a Deus dizendo: `teu povo´. Nem Deus nem Moisés queria ser considerado responsável por Israel naquele momento!

Enquanto isso, Israel continuava a dançar ao redor do bezerro, totalmente inconsciente que seu destino estava sendo selado por este diálogo entre Deus e Moisés. Deus declarou a Moisés:

`Agora, pois, deixa-me; para que se acenda contra eles o meu furor, e eu os consuma...´ (v.10). Note que Deus não faria coisa alguma se Moisés não lhe permitisse. Mas Moisés se recusou a sair de diante de Deus. Como intercessor, ele continuou se interpondo entre Deus e o povo.

Finalmente, Deus disse que usaria Moisés para redimir sua promessa a Abraão, Isaque e Jacó, começando tudo de novo com Moisés e formando dele uma grande nação. Apesar desse povo ter sido um fardo muito pesado para ele deste que saiu do Egito, Moisés intercedeu por eles:

`Porém Moisés suplicou ao Senhor seu Deus e disse: Por que se acende, Senhor, a tua ira contra o teu povo, que tiraste da terra do Egito... (`Não é meu povo´, Moisés está dizendo, `é teu.´) Por que hão de dizer os egípcios: com maus intentos os tirou, para matá-los nos montes, e para consumi-los da face da terra?

Torna-te do furor da tua ira e arrepende-te deste mal contra o teu povo´ (vv. 11,12). A preocupação de Moisés era a reputação de Deus. Ele disse: `Deus, se depois de tirar este povo para fora, eles vierem a perecer nos montes, os egípcios vão dizer que tiveste más intenções quando os tiraste do Egìto.´

Vemos a mesma preocupação com a reputação de Deus em Números 14.13-16. O povo provocou ao Senhor quando se recusou a crer no relatório positivo dos dois espias enviados para a terra prometida, escolhendo antes crer no relatório negativo dos outros dez.

Deus ficou tão irado com sua incredulidade que outra vez procurou destruí-los e fazer de Moisés uma grande nação.

Mas aqui Moisés lembra o Senhor que as nações que tinham ouvido a fama do Senhor iriam pensar que ele não era capaz de introduzir o povo na terra e por isto o matou no deserto.

A preocupação de Moisés em ambos os casos não era sobre sua reputação pessoal; sua única preocupação era a glória e reputação de Deus na terra. No final de Êxodo 32, encontramos a consumação da intercessão de Moisés.

Depois de voltar ao arraial e colocar as coisas em ordem, ele se dirige ao povo:

`Vós cometestes grande pecado; agora, porém, subirei ao Senhor e, porventura, farei propiciação pelo vosso pecado. Tornou Moisés ao Senhor, e disse: Ora o povo cometeu grande pecado, fazendo para si deuses de ouro. Agora, pois perdoa-lhe o pecado; ou, se não, risca-me, peço-te, do livro que escreveste´ (vv. 30-32). Isto é intercessão: `Deus, eles merecem teu golpe; perdoa-lhes. Mas se não, Senhor, então que o juízo deles venha sobre mim.´ O intercessor é a pessoa que se coloca entre Deus e o alvo da sua ira justa.

O Salmo 106 nos fornece um comentário divino e a respeito deste acontecimento:

`Em Horebe fizeram um bezerro, e adoraram o ídolo fundido. E assim trocaram a glória de Deus pelo simulacro de um novilho que come erva. Esqueceram-se de Deus, seu Salvador, que, no Egito, fizera cousas portentosas, maravilhas na terra de Cão, tremendos feitos no Mar Vermelho. Tê-los-ia exterminado, como dissera o Senhor, se Moisés, seu escolhido, não se houvesse interposto; impedindo que sua cólera os destruísse´ (vv. 19-23).

Moisés ficou na brecha causada pelo pecado do povo de Deus e disse: `Senhor, estou tapando a brecha. Teu golpe não pode cair sobre eles sem cair sobre mim primeiro´. Números 16 registra outro exemplo de intercessão.

Aqui Moisés e Arão juntos são os intercessores. Deus havia tratado soberanamente com a rebelião de Coré, Datã e Abirão, fazendo a terra se abrir e tragá-los vivos.

Mas no dia seguinte `toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e contra Arão, dizendo: Vós matastes o povo do Senhor. Ajuntando o povo contra Moisés e Arão, e virando-se para a tenda da congregação, eis que a nuvem a cobriu, e a Glória do Senhor apareceu. Vieram, pois, Moisés e Arão perante a tenda da congregação. Então falou o Senhor a Moisés, dizendo: Levantai-vos do meio desta congregação, e a consumirei num momento: então se prostraram sobre os seus rostos´ (vv. 41-45).

] Esta é a posição do intercessor – prostrado sobre o seu rosto diante de Deus, sabendo que juízo está prestes a cair. Pessoalmente, admiro a graça que Moisés e Arão tinham. O povo havia se revoltado contra eles sem motivo.

Contudo, dispuseram-se a interceder por estes que os criticavam – até mesmo arriscando suas próprias vidas por eles. Moisés falou com Arão e ordenou-lhe:

`Toma o teu incensário, põe nele fogo do altar, deita incenso sobre ele, vai depressa à congregação, e faze expiação por eles; porque grande indignação saiu de diante do Senhor; já começou a praga. Tomou-o Arão, como Moisés lhe falara, correu ao meio da congregação (eis que já a praga havia começado entre o povo) e deitou incenso nele, e fez expiação pelo povo. Pôs-se em pé entre os mortos e os vivos; e cessou a praga.´ (vv. 46-48).

A linguagem nesta passagem enfatiza a urgência da intercessão. Moisés disse a Arão: `Vai depressa...´ Arão não saiu andando, ele `correu´. Cada momento de demora custaria mais vidas.

A palavra `praga´ sugere algo altamente contagioso, e para fazer expiação Arão teve de se expor deliberadamente a esse contágio. Ele pôs sua própria vida a risco. Enquanto ficou ali movendo seu incensário, a fumaça subia numa coluna branca que dividia os vivos dos mortos.

Onde aquela fumaça branca subia do incensário, a praga parava. Isto é intercessão: colocar-se – a risco da própria vida – entre os mortos e aqueles que estão prestes a morrer, e depois oferecer oração e súplicas fervorosas, como a fumaça branca do incensário, até que a praga cesse.

´ FALTA DE INTERCESSORES

Ezequiel 22.23-31 registra uma cena diferente. É semelhante às duas que acabamos de estudar no sentido de descrever os pecados do povo de Deus, mas é diferente porque nenhum intercessor foi encontrado para se interpor entre o pecado do povo e o juízo de Deus.

Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Filho do homem, dize-lhe (à terra de Israel): Tu és terra que não está purificada, e que não tem chuva no dia da indignação.

Conspiração dos seus profetas há no meio dela... Os seus sacerdotes transgridem a minha lei... Os seus príncipes no meio dela são como lobos... Contra o povo da terra praticam extorsão, andam roubando, fazem violência ao aflito e necessitado...busquei entre eles um homem que tapasse o muro e se colocasse na brecha perante mim a favor desta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei.

Por isso eu derramei sobre eles a minha indignação... Todas as classes da população tinham falhado inteiramente – profetas, sacerdotes, príncipes, povo. Cada uma representa um determinado elemento da sociedade. Os `profetas´ são os responsáveis para trazer uma mensagem direta de Deus. Os `sacerdotes´ são os líderes da religião institucional.

Os `príncipes´ são os governantes seculares. O `povo´ é o restante da população, o povo comum. A ordem de listagem destes quatro elementos é importante. O processo de decadência começou com a liderança espiritual; depois o governo secular se corrompeu; finalmente toda a nação foi atingida.

Apesar de todas as classes da sociedade terem se corrompido desta forma, a situação ainda não era desesperadora. Deus procurava um homem, um intercessor, para tapar o muro e colocar-se na brecha para que ele pudesse poupar a nação inteira.

Mas porque ele não encontrou nenhum, derramou sobre ela sua indignação e a consumiu no fogo da sua ira. Um homem – um intercessor – poderia ter poupado uma nação inteira do juízo!

Isaías 59 apresenta um dos mais temíveis quadros de fracasso e apostasia nas Escrituras. No entanto o povo a que este capítulo se refere é um povo essencialmente religioso. Eis a sua confissão:

`Porque as nossas transgressões se multiplicaram perante ti, e os nossos pecados testificam contra nós, porque as nossas transgressões estão conosco, e conhecemos as nossas iniqüidades; como o prevaricar, o mentir contra o Senhor, o retirarmo-nos do nosso Deus, o pregar opressão e rebeldia, o conceber e proferir do coração palavras de falsidade.

Pelo que o direito se retirou e a justiça se pôs de longe; porque a verdade anda tropeçando pelas praças e a retidão não pode entrar. Sim, a verdade sumiu, e quem se desvia do mal é tratado como presa. O Senhor viu isso, e desaprovou o não haver justiça. Viu que não havia ajudador algum, e maravilhou-se de que não houvesse um intercessor´ (vv. 12-16).

`Não havia um intercessor.´ Até o próprio Deus se admirou disso! Era a derradeira evidência condenatória da incredulidade e indiferença egoística que havia nos corações do seu povo.

QUALIFICAÇÕES DO INTERCESSOR

Concluindo, eu gostaria de dar quatro qualificações que vejo em todo verdadeiro intercessor. Primeiro, um intercessor, como Abraão, precisa ter uma convicção absoluta da justiça de Deus:

que Deus nunca trará sobre os justos o juízo que somente os ímpios merecem. Ao mesmo tempo, ele precisa ter uma visão cristalina da justiça absoluta e da inevitabilidade do juízo de Deus sobre os ímpios.

Segundo, ele precisa ter uma profunda preocupação com a glória de Deus, como Moisés que recusou duas vezes a oferta de Deus de fazer dele o originador do maior povo na terra. A glória de Deus lhe era mais importante do que sua reputação pessoal.

Terceiro, um intercessor precisa ter um relacionamento íntimo com Deus. Ele deve ser alguém que possa estar diante de Deus e falar com franqueza total, porém com reverência.

Quarto, um intercessor precisa demonstrar grande coragem pessoal. Ele deve estar preparado para arriscar sua própria vida, como Arão que desprezou o contágio da praga a fim de tomar sua posição entre os mortos e os vivos.

Não existe um chamamento mais alto que o intercessor. Quando você se torna um intercessor, terá chegado ao trono. Você não será visto pelos homens, porque esta é uma posição invisível a eles, atrás do segundo véu; mas no reino de Deus sua vida terá valor no tempo e na eternidade.

O Brasil ainda não tem experimentado um avivamento autêntico, com uma soberana visitação do Espírito de Deus, tal como tem ocorrido em muitos outros países no passado e mesmo em tempos mais recentes.

Nossa pátria precisa ver Jesus vivo no meio das igrejas! (Ap 1:12-20). Enquanto as nuvens escuras do juízo divino se ajuntam, enquanto a dissolução moral, social, econômica, e política vai aumentando, o Brasil precisa de uma coisa acima de tudo; Intercessores!

A ORAÇÃO DE INTERCESSÃO DO SENHOR JESUS

Não é difícil imaginar o tremendo efeito que a vida de Jesus deve ter tido sobre seus discípulos, de todos os modos, enquanto estava tão intimamente associados com ele durante os três anos e meio de seu ministério. Como a escritura nos revela, a regularidade da oração em sua vida, a proximidade que ele sentia com o Pai, e a natureza sincera de suas orações como é vista naquelas poucas que são registradas, ele se torna nosso exemplo na oração como em outras características de uma vida espiritual. Há tanto que precisamos aprender com Jesus sobre este poder maravilhoso que está tão prontamente acessível a nós em nossas vidas.

João 17 é a oração de Jesus mais longa que foi registrada. O que podemos aprender com o conteúdo desta oração de nosso Senhor? A oração é dividida em três partes. Primeira, Jesus ora em vista de sua própria relação com o Pai, segundo, ele ora em favor de seus apóstolos; e terceira, ele ora por todos os crentes.

Certamente as preocupações de Jesus deveriam ser desejo de glorificar a Deus. Sabemos como ele glorificava a Deus e como nós, por nossa vez, podemos glorificá-lo. Ele já tinha glorificado a Deus cumprindo a obra que era para ele fazer. Tinha chegado a hora dele morrer na cruz pelos pecados da humanidade. Ele seria reerguido dentre os mortos, derrotando assim aquele que tinha o poder da morte, o diabo; e depois de aparecer para confirmar sua ressurreição, ele subiria ao trono de Deus para receber seu reino e reinar até que o último inimigo, a morte, fosse vencido pela ressurreição final da humanidade.

Ele orou a Deus para que o glorificasse, para que, por sua vez, ele glorificasse a Deus. Nós também temos que glorificar a Deus (1 Coríntios 6:20) e fazemos isso adequadamente, cumprindo a obra que ele nos deu para fazer. As Escrituras nos preparam completamente para toda a boa obra e o glorificamos sendo cumpridores dessa palavra, e não apenas ouvintes.

Sua oração por seus apóstolos foi em vista de ele não mais estar no mundo, mas ir para o Pai. Ele tinha feito, antes, muitas coisas pela proteção deles. Ele tinha manifestado o "nome" de Deus a eles, e isto inclui manifestar "tudo o que um nome implica, de autoridade, caráter, posição, majestade, poder, excelência, etc." (W. E. Vine, An Expository Dictionary of New Testament Words, p. 100). Ele também lhes deu as palavras que Deus lhe deu, glorificando Deus ao transmitir-lhes que o Pai era a fonte de seu ensinamento. Ele os tinha conservado no nome de Deus, e agora orava para que o Pai continuasse a guardá-los na verdade, afirmando: "Tua palavra é a verdade." Devemos fazer nossa parte para realizar as coisas pelas quais oramos. Entretanto, depois que fizermos tudo dentro de nosso poder pelo bem daqueles que amamos, devemos orar, sabendo que o poder de Deus é grande, muito além de nossa capacidade de agir. Nós, como Jesus, devemos confiar no poder da palavra de Deus para dar conhecimento benefício e para nos santificar ou apartar-nos para uma santa maneira de viver, ajudando-nos, e aqueles que amamos, a abster-nos do mal do mundo. Devemos, também, confiar no poder de Deus para responder as nossas orações e para fazer aquilo que não podemos realizar.

A oração de Jesus por todos os discípulos foi para que todos eles fossem um só. Ele orou pela mais íntima unidade: "como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti". Verdadeiramente, ele e o Pai são um só. O Pai está no Filho e o Filho deve estar em nós. Quando aperfeiçoamos Cristo em nós, podemos ser aperfeiçoados na unidade. Devemos desejar esta unidade e sermos diligentes para mantê-la, porque é a oração sincera e expressa de nosso Senhor. Também, percebendo que outros, vendo tal unidade, podem ser levados a crer, devemos ser motivados pelo amor a eles para trabalhar por tal unidade. Deus irradia a glória de seu caráter maravilhoso, uma parte do qual é seu grande amor por Cristo e por nós. Cristo irradia esta glória e, quando contemplamos sua glória, ela pode motivar-nos a aperfeiçoar Cristo em nós. Assim como seu glorioso amor é aperfeiçoado em nós, ele nos levará a sermos um só com todos os gloriosos benefícios de tal unidade.

Que oração maravilhosa!

Palavra do Pastor



Ola queridos, é com muita alegria que este blog esta no ar, para trazer aos nossos coração alegria e uma benção atravez da palavra da verdade, que é o nosso proprio Senhor e Salvador, ele é a verdade, que a cada postagem nesse blog possa ter um valor de imensa importância para seu crescimento espiritual. Que o Senhor te abençoe grande-mente.

seu conservo: Pr.Matheus Silveira

EVANGELISMO E MISSÕES

A TEOLOGIA DO EVANGELISMO

1. Jesus Cristo: O único caminho

“ Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim” ( Jo 14.6 ).

“Porque há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem, o qual se deu a si mesmo em resgate por todos, para servir de testemunho a seu tempo” (1º Tm 2.5-6).

Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina. Em nenhum outro há salvação, pois também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado pelos homens, pelo qual devamos ser salvos” (Atos 4.11-12).

Esses são versículos que nos levam a ter a convicção de que Jesus Cristo é nosso mediador, único caminho, Salvador de nossas vidas, e que não há nenhum outro caminho, mediador, filosofia, religião ou sistema que leve uma pessoa ao Deus verdadeiro.

Muitas vezes ouvimos falar, Deus é um só, podemos confirmar esta declaração, mas vale ressaltar que muitos declaram isso, sem necessariamente se referir ao mesmo Deus que servimos, o Deus da Bíblia. Nem sempre as pessoas servem o Deus verdadeiro, mas enganosamente pensam estar servindo ao único Deus, pois, servir a Deus, requer de nós um compromisso, uma renuncia, uma doação total de si, a serviço do reino, enquanto muitos pensam que servir a Deus pode ser de qualquer jeito, ou da maneira que cada um deseja. Quando desejamos fazer aquilo que bem entendemos, com certeza não estamos, fazendo a vontade de Deus, mas quando renunciamos nossos desejos, e anseios, e lançamos sobre Ele nossas ansiedades, verdadeiramente o adoraremos e serviremos em Espirito e verdade.

Um exemplo claro disso é que muitos crêem em um só Deus Supremo, mas não aceitam Jesus Cristo, o Filho de Deus.

Ler em classe – João 8.42,54-55 / João 14.9-10

Nestas duas passagens vimos que Jesus declara que aquele que não crê nEle, o filho, não conhece o Pai, e consequentemente não é salvo. No desejo do apostolo Felipe em conhecer o Pai, este faz um pedido a Jesus, o que coloca em questão a sua própria conversão. Vimos a indignação de Jesus quando ele diz que esta com ele a tanto tempo e ainda não o conhecia. Isso ocorre muito em nossos dias, pois Jesus tem manifestado a sua gloria, poder, majestade e domínio e mesmo assim muitos ainda não o conhecem, tem feitos grandes milagres e operado grandes maravilhas em nosso meio, e mesmo assim muitos ainda não o conhecem e até muitas vezes atribuem estes milagres a outros deuses. Vimos portanto que:

Jesus é o único Salvador, Senhor e mediador entre Deus e o homem (1º Tm 2.5-6)

Jesus não pode ser separado de forma alguma do Deus verdadeiro (1º Jo 5.11-12)

Jesus era o único Filho, o primogênito, enviado para nos trazer Salvação (Is.53.4-6 / Cl 1.15 / Jo 17.23-25)

Jesus era o único autorizado e adequado para nos salvar, por não haver pecado Nele, e o único aceitável para morrer por nós e nos purificar de nossos pecados. Ele foi o perfeito e o ultimo sacrifício necessário. (1º Pe 2.22 / Hb 9.13-14)

Muitos crêem que poderão se reconciliarem com Deus após a morte. Outros crêem em reencarnação através da qual a nova vida pode ser vivida melhor que a primeira, o que “da a chance” de evoluir a um estado mais sofisticado espiritualmente. Lembramos que estas crenças não são bíblicas. Temos uma só vida e depois de morrer haverá o julgamento (Hb 9.27)

2. O desejo de Deus - Que ninguém pereça

“ Deus não quer que ninguém pereça, mas todos se arrependam” (2º Pe 3.9)

Vimos claramente nesta passagem a verdadeira vontade de Deus para nossas vidas, o se amor transbordante nos dá a oportunidade de nos arrependermos, mas infelizmente algumas pessoas com seus corações endurecidos, vetam essa oportunidade e perdem a chance de conhecer Jesus com Salvador.

Muitos questionam o porque Jesus usava de parábolas para ensinar, mas na verdade, Jesus, usava desse artifício para que somente aqueles que queriam aceitar a mensagem pudessem entender. Quando algo é desejado e buscado com toda força, se possui, portanto as parábolas não são obstáculos para aqueles que buscam a Deus com todo seu coração, já aqueles que não querem ouvir são aqueles que possuem seu coração endurecido.

3. O livre Arbítrio.

Existe uma doutrina chamada Arminianismo, desenvolvida pelo holandês Jacobus Arminius. O Arminianismo diz que a pessoa tem que buscar a Deus. Ao mostrar interesse por Deus, abrindo o coração, faz com que Ele se aproxime dessa pessoa. Neste caso é a pessoa que toma a iniciativa e Deus responde. Esta idéia deixa a questão da salvação mais nas mão dos homens e menos nas mãos de Deus. O livre Arbítrio da pessoa determina seu destino. Esta doutrina também ensina que é possível perder a salvação ou cair da graça pela sua própria vontade.
• A Tarefa da Igreja: Independente da vontade do homem sabemos que a tarefa da igreja é cumprir o mandamento do senhor e anunciar o evangelho para que todos tenham a oportunidade de ouvir falar de Jesus o aceitarem como senhor e Salvador de sua vida.
• Gratidão a Deus: A principal motivação da igreja primitiva para evangelizar, foi a experiência extraordinária do amor de Deus que Jesus Cristo lhe proporcionou. “O Filho de Deus me amou e a si mesmo se entregou por mim...” (Gl 2.20)

Nossos irmãos do 1º e 2º séculos tiveram uma gratidão muito grande a deus aos seu grande amor, gratidão que teve um importante papel na evangelização, a exemplo disso, devemos hoje evangelizar impulsionados pela experiência pessoal do amor de deus em nossas próprias vidas, e com base em Deus que deu tudo por nós. Sabemos que a melhor forma de agradecermos a Deus é compartilharmos com outras pessoas o Amor de Jesus e nossa fé Nele. “Não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos” (Atos 4.20).
• Responsabilidade diante de Deus: Devemos Ter responsabilidade diante de Deus no que tange a vivermos uma vida coerente com a nossa fé. É preciso querer agradar a Deus em tudo que fazemos, e sentir em nós a responsabilidade de anunciar ao mundo que “temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo” (Rm 5.1).
• Sentimento de preocupação: Na igreja primitiva havia uma preocupação muito grande com a vida dos não salvos, Paulo se dedicou à tarefa de proclamar às pessoas de todos os lugares o perigo que corriam sem Jesus e a necessidade de conhece-lo, pregava convidando as pessoas ao arrependimento e à fé em Cristo. Portanto devemos nos preocupar e muito, a exemplo de Paulo, com as pessoas que necessitam de ouvir a palavra de Deus e conhecer e reconhecer Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas. Sabemos que por trás da indiferença que alguns fazem ao evangelho esta a ação de Satanás com o objetivo de manter as pessoas longe da Salvação em Cristo.
• Obediência a Jesus: Como podemos ficar calados e inativos quando o mundo esta sem o conhecimento de Jesus Cristo? Lembre-se: “Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16:15), o verdadeiro discípulo que ama a Jesus obedece seus mandamentos: “Se Guardardes meus mandamentos, permanecerei no Meu amor, do mesmo modo que Eu tenho guardado os mandamentos de Meu Pai e permaneço no seu amor”(Jo 15.10. E o mandamento que Jesus nos deu é este: “...que vos ameis uns aos outros assim como Eu vos amei ”(Jo 15.12). Se amarmos aos outros, aos que não conhecem a Cristo, falaremos do maior amor que o mundo já conheceu: O amor do pai e o Amor de Jesus. Assim, evangelizando, estaremos obedecendo um dos mais fundamentais mandamentos de Jesus.
METODOS DE EVANGELISMO

Métodos são tentativas de nossa parte para ajudar o leigo a compartilhar sua fé com confiança e esclarecimento sem ficar perdido, sabendo que qualquer método é limitado em sua eficácia devido a complexidade e diversidade de cada indivíduo. Temos a tendência de colocar todos no mesmo barco e muitas vezes isso não funciona. Portanto, o melhor método seria a variedade de métodos que o Espirito Santo de Deus distribui aos seus servos na hora da necessidade.

A distribuição de folhetos como método evangelístico é o mais conhecido e praticado no meio evangélico, se torna muitas vezes um meio mais rápido e fácil de se alcançar uma grande extensão populacional, alem de possuir, teoricamente, baixo custo, mas nem sempre esse método atende as expectativas daquele que esta evangelizando e os resultados se tornam um pouco frustrantes, devido a pouca aceitação, dependendo do local e circunstancia de evangelização, as vezes poucos param para receber o folheto e lhe concedem a oportunidade de uma conversa franca e aberta até mesmo sobre a mensagem do folheto, que deve ser elaborada com muito cuidado.

A pesquisa como forma de evangelismo é usado para que você consiga adquirir o maior numero de informações possíveis da pessoa que esta sendo evangelizada, no intuito de não perder um ouvinte por falta de informação, alem do que muitas vezes causa na pessoa um sentimento de interesse de que você possui um interesse genuíno nela. Este método pode ser utilizado nas praça, parques, serviço, escola, hospital, etc.

Como usar esse método?

1. Aproximar-se da pessoa, cumprimenta-la e apresentar-se, em alguns casos é essencial que você esteja identificado com o crachá da igreja, o que causa uma impressão de organização.

2. Pedir permissão para tomar 10 minutos para que você possa realizar a pesquisa e anotar as respostas ( algumas pessoas podem questionar o motivo da pesquisa, e você pode brevemente explicar que a pesquisa tem o objetivo de identificar as preferencias de cada indivíduo da comunidade e consequentemente apoiar de melhor maneira possível as suas necessidades, é importante não estender muito a explicação, para que você não entre no assunto do evangelho antes de fazer a pesquisa)

3. Você deve falar as perguntas e anotar as respostas dadas pela pessoa

4. Ser objetivo, procurando maiores detalhes nas respostas somente se houver extrema necessidade.

5. Fazer um breve comentário pessoal sobre cada pesquisa realizada contando ( como foi a reação da pessoa, etc.)

É importante ressaltar que a pesquisa deve somente ser o ponto inicial da evangelização, pois com a coleta dos dados da pessoa você conseguirá elaborar uma mensagem que atinja exatamente o pontos de necessidades da pessoa, e que haja também um acompanhamento dessa pessoa até ganha-la e integra-la a uma igreja, isso é se a pessoa lhe der permissão para visita-la.

Evangelismo em Massa tem como objetivo atingir uma comunidade ou bairro de uma maneira geral, deve-se porem haver um treinamento, para que haja sintonia nesse método de evangelismo onde cada um terá convicção de que todos estão no mesmo Espirito e ligados no mesmo objetivo, sempre saindo de dois em dois no mínimo, nunca sozinho e nunca adentrar a residência de alguém quando convidado sozinho sem a companhia de mais de uma pessoa, e sem a autorização do coordenador do evangelismo. Lembre-se que nesse método de evangelismo, estarão em território inimigo, por isso é necessário estar em constante oração e vigilância para que satanás não venha tentar envergonhar o povo de Deus.

Evangelismo de Amizade é um dos métodos mais eficazes, pois todo mundo precisa de um “amigo”, e é natural fazer amizades, tendo como arma o amor de Deus, podemos portanto revelar este amor aos nosso vizinhos e colegas, outra vantagem é que nossos vizinhos e colegas podem ver a mensagem do amor e paz de Deus em nossas atitudes em varias situações do dia a dia. Você se torna um exemplo vivo de Jesus e isso pode contribuir para que haja a curiosidade e o conhecimento de Deus, levando a pessoa a Ter uma conversão genuína e posteriormente um comprometimento com a igreja de Jesus Cristo.

CONCLUSÃO

A Evangelização no mundo é tarefa séria. Devemos estar sensíveis ao Espirito Santo em tudo que planejamos a respeito desse assunto, devemos buscar sempre em primeiro lugar a Deus constantemente em oração, em segundo lugar, adquirir o maior conhecimento possível, e terceiro sermos testemunhas das maravilhas que Deus opera em nossas vidas.

Que através deste humilde estudo, possamos compreender melhor os propósitos de Deus para nossas vidas e a luz do evangelho de Jesus Cristo, possamos realmente expressar seu Amor a todos os povos pelos quatro cantos da terra. Que Deus possa nos dar motivação e graça para participar desta tarefa de forma mais ativa para Sua honra e glória. Amem!
O QUE É EVANGELIZAR

Devemos primeiramente saber que os teólogos tem opiniões diferentes a respeito do que significa evangelizar, existindo dois pontos principais:

1. Evangelizar é a exposição do Evangelho de tal maneira que o ouvinte possa tomar uma decisão consciente a favor ou contra Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador.

2. Evangelizar é a apresentação do Evangelho seguida da conversão do ouvinte.

Na primeira afirmação vimos a situação em que a pessoa ouve o palavra e chega a conclusão de que esta ou não em condições de seguir a Jesus, quando portanto considera-se esta evangelizada.

Na segunda afirmação vimos que uma pessoa se torna totalmente evangelizada somente quando aceita Jesus em sua vida.

Vamos indicar dois exemplos bíblicos de evangelização para que a luz da palavra de Deus, possamos chegar ao verdadeiro significado de evangelizar.

Ler em classe

Atos 26.1-28 – Paulo testemunha perante o rei Agripa

( Vimos primeiramente no vers. 3 que Paulo pede ao rei sua atenção e paciência, depois começa sua defesa dando o testemunho de sua própria vida e falando das perseguições que tivera executado contra os cristãos, depois passa a testemunhar como sua vida foi transformada, como sucedeu sua conversão, de como o próprio Jesus falou em sua vida, e obediente a voz do Senhor tem feito a vontade do Senhor, com isso no vers. 27 lança a pergunta ao rei Agripa, Crês tu nos profetas, rei Agripas?, afirmando que sabia que ele cria, sendo que no versículo seguinte, vimos a resposta do rei que não negou a interrogativa de Paulo, mas respondeu somente que se Paulo acreditará que se em tão pouco tempo poderia torna-lo um Cristão. No versículo 29 vimos a fé de Paulo, quando declara que acredita, que em pouco ou em muito tempo, se tornarão como ele, mas com a liberdade de poder falar sem sofrer “perseguições”(Exceto estas algemas).Podemos dizer que ele Agripa recebeu informação suficiente para aceitar, mas preferiu recusar, portanto conciêntemente Agripa recusou a palavra podendo conforme o item 1 considera-lo evangelizado)


Mateus 13.1-23 – A parábola do semeador

( vimos nesta passagem quatro tipos de solo (pessoas = coração do homem) que receberam a semente (palavra) e tiveram diferentes reações, o primeiro ouve a mensagem mas não entende, satanás vem e tira o que foi semeado neles, impedindo que a palavra brote em seus corações, essas pessoas a “beira do caminho” foram semeadas, receberam de alguma forma todas as informações necessárias, mas, permitiram de alguma forma que esta palavra surtisse efeito em suas vidas onde podemos dizer que conforme o item 1 considera-lo evangelizado. O segundo, ouviu a mensagem aceitou logo com alegria, porem durou pouco por não ter raiz, devido aos sofrimento e perseguições por causa da mensagem, faltou em seu coração o desejo de levar a sério a conversão, o terceiro ouviu e recebeu, mas não entendeu e consequentemente, a verdade não permaneceu em seu coração, devido também a mensagem ter sido sufocada pelos desafios pressões do mundo, o fizeram se afastar desta verdade, não levou a sério a vida com Jesus, mas, segundo o item 1 foi evangelizado, porem, segundo o item 2 não foi evangelizado por não ter se convertido, já o quarto recebeu a palavra de verdade e houve fruto o que causou a conversão, sendo estas as únicas a serem evangelizadas de fato segundo o item 2.).

Portanto após lermos estas duas passagem bíblicas chegamos a conclusão de que evangelizar é plantar a semente sabendo que ela tem potencial para crescer e dar fruto, ou seja, falar do evangelho de Jesus com a convicção de que haverá transformação e resultado prático na vida daquele que esta recebendo a palavra da verdade. Podemos considerar que uma pessoa não foi evangelizada quando a semente não foi lançada, quando a palavra da verdade não foi professada.

O SIGNIFICADO DO IDE QUE JESUS DETERMINOU A TODOS NÓS

“Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura” Mc. 16:15

A quem foi destinado o ide de Jesus?

Sabemos que a ordem de Jesus aos seus discípulos foi que saíssem por todo o mundo e pregasse o evangelho a toda criatura, o que vimos hoje é uma grande falta de compreensão e entendimento desta ordem, ou até mesmo uma distorção das palavras ditas por Jesus. Queremos salientar que quando disse aquelas palavras, não as ordenou somente aos que estavam ali presentes, mas a todos que por ventura tivessem o desejo de falar sobre as maravilhas que Jesus fez e ainda faz em nosso meio. Portanto também fomos chamados a estar pregando o evangelho a toda criatura, não por vontade própria, mas como sinal de obediência à ordem expressa de Jesus.

Como ir por todo o mundo?

Hoje existe um grande questionamento sobre como cumprir a ordem de Cristo. Quando você foi chamado por Deus para fazer sua vontade, o Senhor não lhe perguntou se você tinha um nível intelectual elevado, se era formado em alguma faculdade, se você possuía poder aquisitivo para executar viagens, se você sabia ou não falar em vários idiomas, enfim, quando você foi chamado por Deus, disse venha como estas, não fazendo acepção de pessoas. Você foi chamado a um compromisso, e certamente Deus lhe concederá o que é necessário para que se cumpra toda a obra que Ele preparou para sua vida.

Temos vários recursos que nos possibilitam cumprir a ordem de Jesus, e ir a todo o mundo, talvez seja muito mais perto do que você mesmo imagina, talvez tenha em sua família uma pessoa que ainda não foi evangelizada, talvez tenha algum “amigo” que ainda não recebeu a palavra de Deus revelada e necessita de libertação, cura e salvação, lembre-se que você tem uma grande responsabilidade em suas mãos, pois foi escolhido e tem como dever divulgar quem foi o responsável pela transformação em sua vida, embora você não tenha um diploma de faculdade, não saiba falar em outros idiomas, não possua poder aquisitivo para executar viagens pelo mundo, hoje você tem um diploma concedido pelo Espirito Santo de Deus, fala a língua dos anjos, e pode muito bem executar viajem dentro de sua casa, dentro do seu bairro, dentro da sua cidade e até a outros países se essa for a promessa de Deus para sua vida, portanto existem varias maneiras de irmos por todo mundo, você pode tanto realmente viajar a outros países, mas também viajar dentro de sua família para cumprir a ordem de Jesus.

Como pregar o evangelho a toda a criatura?

Para pregarmos o evangelho primeiramente temos que conhecer o evangelho, conhecermos o verdadeiro sacrifício de Jesus na cruz do calvário, qual seu verdadeiro significado, e porque tinha que ser daquela forma, hoje pode ser que você ainda não tenha entendido a mensagem da cruz, porem existe em seu coração a disposição de entender porque foi chamado e como pregar o evangelho.

Durante toda nossa vida ouvimos falar que um homem morreu numa cruz para que fossemos salvos e perdoados de todos nossos pecados, mas na realidade nunca observamos que tudo aconteceu para que tivéssemos a oportunidade de conhecer o verdadeiro poder de Deus em nossas vidas, quando nos colocamos a disposição para entender esse sacrifício e começamos a buscar sabedoria de Deus, então, o Espírito Santo nos ensina e nos capacita para a obra que devemos cumprir. Portanto participarmos das atividades da igreja, ou seja, cultos, escola bíblica dominical, e outros cursos de ensinamento bíblicos, são de extrema importância, para que estejamos preparados para pregar o evangelho a toda criatura como ensina a palavra de Deus.

Todos os que foram resgatados das mãos de satanás, e liberto de uma vida de pecado, tem como dever expressar sua gratidão dando testemunho das maravilhas que Deus fez sobre sua vida, portanto todos foram chamados a evangelizar, desde que tenham verdadeiramente compromisso com a palavra de Deus.

“ O Espirito do Senhor esta sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar aos pobres. Enviou-me para apregoar liberdade aos cativos, dar vistas aos cegos, pôr em liberdade os oprimidos ” (Lucas 4.18)
QUAL O PROPOSITO DO EVANGELISMO?

O que é evangelização e seu propósito.

Porque a fé vem pelo ouvir e ouvir da palavra de Deus ( Rm 10.17)

Jesus afirmou: “Em verdade, em verdade vos digo: quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida” (Jo. 5.24).

Em Romanos 10.17 encontramos a afirmação que a fé é dada quando ouvimos a palavra de Deus. Jesus nos afirmou que aquele que crê nAquele que o enviou e ouve sua palavra, tem a vida eterna. Ficou claro para nós que para sermos salvos temos que crer nas palavras de Jesus, dai surgem algumas perguntas. Mas como crer nas palavras de Jesus ou como conhece-las, se não há quem pregue? “ Como, porem, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem nada ouviram? E Como ouvirão, se não há quem pregue?”(Rm. 10.14)

O Plano de Deus para salvar a humanidade é o testemunho acerca da salvação em Jesus Cristo e a pregação da palavra de Deus por aqueles que nele creram. Deus poderia ter usado de varias outras maneiras para que seu propósito de salvação fosse cumprido, mas Deus determinou que o homem pregasse com sua boca e dedicasse sua vida a Jesus Cristo para que, assim, outros alcançassem a salvação, as vezes Deus usa outros meios alem da mensagem verbal, mas o meio principal é a pregação da palavra, seguido pela manifestação do poder de Deus. Portanto, podemos concluir que evangelização é a divulgação das boas novas e a convicção de que Jesus Cristo, como Senhor que reina, oferece o perdão dos nossos pecados e o dom do Espirito que liberta a todos os que se arrependem e crêem.

Todos que desejam fazer um trabalho de evangelização devem portanto, alem, de conhecer e praticar a palavra de Deus, ter uma vida dirigida pelo Espirito Santo e estar em plena comunhão com o Senhor, ter uma vida de oração, jejum e consagração a Deus, buscando o poder e o conhecimento que lhe é necessário para entrar no território inimigo.

Damos abaixo 03 exemplos de evangelização segundo o Dr. C. Peter Wagner, preletor e professor de teologia:
• Evangelização de presença: Concentra-se no nível de Assistência Social. Os cristãos que vão para uma outra cultura e procuram abrir escolas, hospitais, orfanatos e oferecer outros serviços públicos. São boas intenções, mas não é um evangelísmo direto, geralmente não há o desafio verbal, podendo despertar a igreja à ajudar as necessidade daqueles que mais precisam.
• Evangelização de proclamação: Há nesse meio, o anuncio do evangelho, mas não há o prosseguimento aos recém convertidos, simplesmente se lança a palavra, mas se deixa cada um por si.
• Evangelização de Persuasão(Convicção): É o evangelismo que desafia plenamente. O evangelho deve ser anunciado e articulado, como Pedro Fez no dia de Pentecostes e Paulo diante do Rei Agripa. A distribuição de folhetos e bíblias contribuem e muito, mas a apresentação clara do evangelho, o Espirito Santo convence o evangelizado da verdade, é preciso continuar o trabalho de evangelização até a incorporação da pessoa na igreja, portanto podemos destacar três pontos fundamentais no trabalho de evangelização.

INFORMAÇÃO, informar ao pecador a respeito de sua condição de pecador, da natureza e conseqüência do pecado em sua vida, do amor de Deus e Sua providencia para salvação e o que fazer para ser salvo

PERSUASÃO, alem de ministrar ao pecador as informações necessárias a respeito do evangelho, o evangelista deve saber que é simplesmente o instrumento de Deus nesse processo e quem convence o pecador é o Espirito Santo de Deus.

INTEGRAÇÃO, a integração da pessoa que esta sendo evangelizada ocorre após o pecador se converter, onde o novo crente passa a aprender as doutrinas bíblicas, crescendo em poder e fé, desenvolvendo-se e aplicando-se cada vez mais ao serviço do reino.

É preciso lembrar que O Verdadeiro propósito do Evangelismo é dar às pessoas a oportunidade de conhecerem e aceitarem Jesus Cristo como único e suficiente Salvador de suas vidas, através do anuncio da palavra de Deus.
QUALIFICAÇÕES DO EVANGELISTA
• CONVERSÃO

Que fique claro que todo evangelista deve ser primeiramente convertido, começando com fé e arrependimento de nossa parte. Só o crente que possuí uma conversão autentica, de que Cristo levou nossos pecados em Seu corpo na cruz, libertando-nos do poder do pecado e a certeza da salvação, pode ganhar almas para Jesus.
• CONVICÇÃO

É preciso ter total convicção na mensagem de Cristo, crer que estamos ensinando a verdade à humanidade e que o único caminho que leva para Deus é através de Cristo, e também Ter convicção de que toda alma fora de Cristo esta perdida.
• VITÓRIA SOBRE O PECADO

Viver aquilo que se prega é essencial na vida de um evangelista, devemos representar Cristo fielmente, pois Ele nos dá vitória sobre o pecado, e é através de nossa experiência vitoriosa que poderemos pregar com autoridade e ensinar o recém-convertido a também obter estas vitórias.
• COMPAIXÃO PELAS PESSOAS PERDIDAS

Compaixão significa sentimento de preocupação em relação aos outros. Deus sentiu compaixão de nós. “ pois amou o mundo de tal maneira que deu Seu Filho unigênito para todo o que nEle crê, não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo. 3.16). A compaixão motivou Jesus Cristo percorrer tantas cidades e povoados, ensinando, pregando e curando o povo aflito (Mt.9.35-36). Somente adquirimos esse sentimento quando aprendemos a amar com Deus amou, assim poderemos enxergar as pessoas perdidas e através do amor que move nossos corações sermos motivados a agir no sentido de ajuda-las.
• SER CRISTÃO DE ORAÇÃO

A oração faz com que Deus abra as portas, possibilitando que as barreiras sejam vencidas.
Segundo Jorge Muller existem 5 (cinco) razões para que nossas orações pelos perdidos fossem respondidas.

1. É vontade de Deus salvar os homens ( 1 Tm. 2.4).

2. Não vivermos na prática do pecado (Sl 66.18).

3. Permanência na oração até obter a resposta (Lc. 18.7)

4. Estar cheio do Espirito Santo, é ele que convence o perdido ( Jo 16.8)

5. Transmitir mensagens dirigidas pelo Espirito Santo .
QUEM DEVE EVANGELIZAR E ONDE

Quem deve Evangelizar?

Sempre houve um bom entendimento da igreja quanto ao chamado de Deus, para anunciarem as Boas Novas da Salvação, apesar das grandes perseguições, a igreja nunca se calou diante do compromisso de espalhar o Evangelho de Jesus Cristo.

Muitos missionários, em seu trabalho de evangelização pelo mundo, pagaram o preço do seu ministério, o testemunho de sua fé em Jesus Cristo os levaram a sofrerem graves conseqüências. Estima-se que no ano 100 ( Cem), cerca de 500 cristãos foram mortos, Deus ainda hoje, nos escolhe para levar o evangelho ao mundo inteiro, porem, não estamos longe desta realidade, David Barret, missiólogo da Universidade de Regent nos Estados Unidos disse que no ano de 1994, cerca de 156.000 ( Cento e Cinqüenta e Seis Mil ) cristãos foram vítimas de martírio. Comentou Barret “ O martírio faz parte da missão Cristã, porque sua mensagem provoca hostilidade e o cristão paga o preço”.

Muitas vezes não entendemos o porque Cristo esta demorando a voltar e levar sua igreja, apesar de tantos fatos acontecidos, e que se encontram em evidencia no livro de apocalipse, ainda há muitas pessoas que precisam ser salvas., sabemos que esta responsabilidade é de cada um de nós, e o nosso comodismo nos torna responsável por tantas tribos, países, raças e nações ainda não conhecerem a Cristo, Segundo Barret, cerca de 24% dos 5,5 bilhões de habitantes em todo mundo, ainda não ouviram o nome de Jesus. E o que temos feito?.

Onde Evangelizar?

Em Atos 1.8 encontramos a definição exata de onde devemos evangelizar, segundo a palavra de Deus, temos que ser testemunhas em todos os lugares, bom seria se pudéssemos estar em todos os lugares, ou seja, termos missionários nos quatro cantos da terra, mas, sabemos que muitos ministérios não dispõem de condições de estarem enviando missionários. Então onde evangelizar, a palavra de Deus nesse versículo nos deixa recursos suficiente para que ninguém arranje a desculpa de que não evangeliza por não poder estar viajando e nem enviando missionários, a palavra nos diz que é possível fazer um trabalho de evangelização em seu bairro (Jerusalém) em outras cidades ou estados ( Judéia ) em outros países adjacentes ( Samaria ) e enfim para países mais distantes ( confins da terra ), portanto concluímos que podemos começar nosso trabalho bem próximo de nós, mas almejando também estarmos evangelizando os países mais distantes, principalmente os mais necessitados, dos quais sabemos que quase não se é falado do nome de Jesus. O que não podemos deixar de fazer, é espalhar o evangelho de Jesus Cristo pelos quatro cantos da terra, somente assim estaremos cumprindo a palavra ordenada no versículo 1.8 de Atos. Quantas pessoas perdidas e que necessitam do perdão do Senhor, estão neste momento tão próximas de nós, e quantas estão distantes, é por isso que não devemos nos prender somente em nosso pequeno mundinho e esquecermos dos que estão a mercê das obras malignas de Satanás, e que se encontram distante de nós. Por isso devemos orar a Deus para que Ele nos de condições de termos missionários em todos os lugares.
Você tem certeza que estará com Deus no céu?

Se Deus lhe perguntasse:
"Por que deveria eu permitir que você entre no meu céu?"
O que você responderia?

Se você não tem certeza ou está meio indeciso como responder a esta pergunda, este texto tem as melhores notícias que jamais ouviu!
Os próximos minutos de que precisará para ler este texto podem ser os momentos mais importantes de sua vida!
Você sabia que a Bíblia diz como você pode TER CERTEZA que tem a vida eterna irá estar com Deus no céu?
"Estas coisas vos escrevi a fim de saberdes que tendes a vida eterna..." (1 João 5:13)
Aqui está como você pode ter certeza...
1 - O Ceu (a vida Eterna) é um Presente.
A Bíblia diz:
"...o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor." (Romanos 6:23b)
E desde que o céu é um presente, como qualquer outro presente, é genuíno. Esse presente não é GANHO (ou COMPRADO) POR OBRAS ou MERECIMENTO... Então, seus próprios esforços, suas boas obras e até seu trabalho religioso não são suficientes para merecer um lugar no céu.
"Porque pela graça sou salvos, mediante a fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus; não de obras para que ninguém se glorie" (Efésios 2:8-9)
POR QUE Ninguém Consegue Merecer o Céu? Porque...
2 - O Homem é Pecador
"Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus" (Romanos 3:23)
O pecado é qualquer coisa que não agrada a Deus ou é contra os princípios da Bíblia, e isso inclui a mentira, desejos e comportamento imorais, falsidade, ira, pensamentos maus, etc.. E como resultado disso o homem não pode Salvar-se a si mesmo.
"Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é vosso Pai celeste" (Mateus 5:48)
Obviamente, com um padrão tão alto, ninguém consegue salvar-se a si mesmo, porque a Bíblia também diz:
"Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeçar em um só ponto, se torna culpado de todos"(Tiago 2:10)
Apesar de nossos pecados, porém...
3 - Deus é Misericordioso Portanto Não Quer nos Punir
É assim:
"Pois Deus é amor" (1 Joao 4:8b)
e Ele Diz:
"...Com amor terno eu te amei, por isso com benignidade te atraí"(Jeremias 31;3b)
Mas, a mesma Bíblia que nos ensina que Deus nos ama também diz que DEUS É JUSTO portanto TEM QUE PUNIR O PECADO.
Deus diz...
"...ainda que não inocenta o culpado..."(Êxodo 34:7b)
"... a alma que pecar, essa morrerá."(Ezequiel 18:4b)
Estamos com um problema:
Todos nós temos pecado. A pena para o pecado é a morte. Precisamos de perdão para podermos ter um relacionamento certo com Deus.
Deus Resolveu Esse Problema do Homem na Pessoa de...
4 - JESUS CRISTO
Quem é Jesus Cristo, na sua opinião?
A Bíblia nos ensina claramente que ele é o inifinito Deus- Homem.
"No princípio era o verbo (Jesus) e o verbo (Jesus) estava com Deus e o verbo (Jesus) era Deus... e o verbo (Jesus) se fez carne, e habitou entre nós cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai" (João 1:1-14)
Jesus cristo veio para a terra e viveu uma vida sem pecado. Mas enquanto estava na terra...
O QUE ELE FEZ?
Jesus morreu na cruz e ressucitou dentre os mortos para pagar a pena por nossos pecados e para comprar um lugar nos céus para nós.
"Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o Senhor fez cair sobre Ele (Jesus) a iniqüidade de nós todos" (Isaías 53:6)
Deus não aceita os nosso pecados, mas por causa de seu amor por nós, ele os colocaou sobre o seu filho. Cristo carregou nossos pecados sobre seu próprio corpo, na cruz.
Agora Jesus cristo lhe oferece a vida eterna (o céu), como um presente gratuito.
Esse Presente é Recebido Pela...
5 - FÉ
A fé é a chave que abre a porta do céu. Muitas pessoas confundem a fé salvadora com:
1) Mero ASSENTIMENTO INTELECTUAL, isto é, a Bíblia diz que o diabo crê em Deus; então crer em Deus não é o que a Bíblia chama de fé salvadora.
2) Mera FÉ TEMPORAL, isto é, confiar em Deus somente diante das crises temporarias da vida tais como finceiras e familiares ou necessidades físicas.
Claro que essas coisas são importantes, e você deve confiar no Senhor quanto a elas, mas como vê, mesmo um assentimento intelectual ou uma fé temporal não são fé salvadora!
A FÉ SALVADORA é confiar somente em Jesus Cristo para a vida eterna. Isso significa depender de Cristo e do que Ele fez, e não de nossos esforços para merecer o céu.
"Responderam-lhes: Crê no senhor Jesus Cristo, e serás salvo..."(Atos 16:31a)
A fé é como a mão de um mendigo estendida para aceitar o presente de um Rei. Não merecemos o presente da vida eterna. Mas, podemos tê-lo, se o recebermos pela fé.
Você acaba de ler a maior história já contada, sobre a maior oferta já feita, pelo maior homem que já viveu - Jesus Cristo.
A pergunta que Deus faz a você agora é...
VOCÊ GOSTARIA DE RECEBER O PRESENTE DA VIDA ETERNA?
Desde que este é um assunto tão importante VAMOS ESCLARECER exatamente O QUE ESTÁ ENVOLVIDO.
Receber o presente da vida eterna singnifica, em primeiro lugar, transferir sua confiança daquilo que vinha fazendo até aqui, para que o Cristo fez por você na cruz.
Significa, também RECEBER A CRISTO RESSURRETO E VIVO em sua vida como SALVADOR.
CRISTO diz: "eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele e ele comigo"(Apocalipse 3:20)
Além disso, significa RECEBER A CRISTO COMO O SENHOR. Ele vem como Meste e Rei. Ele vem para pedir-lhe algo. Ele diz que há um "trono" em seu coração e que esse tono pertence a Ele. Ele no fez. Ele nos libertou. Ele nos comprou. Ele deseja ocupar o lugar que tem direito no trono de sua vida. Finalmente, significa ARREPENDER-SE DE SEUS PECADOS, isto é, deixar o que estava fazendo e o que não agrada a DEUS, dar meia-volta e segui-lO através de sua palavra.
Agora, se é isto que você realmente deseja, você pode falar com Deus em oração onde está. Você pode receber o presente da vida eterna, através de Jesus Cristo, agora mesmo.

"Porque com o coração se crê para a justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação... Porque todo aquele que invocar o nome do senhor será salvo" (Romanos 10:10;13)
Se você deseja receber o presente da vida eterna através de Jesus Cristo, então ore a Ele, pedindo esse presente agora.
Faça essa oração:
"Senhor Jesus Cristo, eu sei que sou pecador e não mereço a vida eterna. Mas, creio que Tu morreste por mim e ressucitaste dentre os mortos para pagar a pena por meus pecados e para comprar um lugar nos céus para mim. Arrepdendo-me dos meus pecados e peço teu perdão. agora, eu coloco toda a minha confiaça em Ti e Te aceito como meu Salvador pessoal e como Senhor e Mestre de minha vida. Aceito o presente gratuito da vida eterna. Não o mereço, mas te agradeço por ele. Amém"
Cristo prometeu:
"Em verdade, em verdade vos digo: Quem crê [em mim] tem a vida eterna" (João 6:47)
Bem-vindo à família de Deus!
Se você está realmente arrependido dos seus pecados(isto é, está decidido a mudar de caminho e atitude com respeito ao pecado e a Deus), colocando a sua confiança em Jesus Cristo e no que Ele fez por você através de sua morte, e recebendo o presente de vida eterna, você é agora um(a) filho (a) de Deus! Para sempre! Bem-vindo à família de Deus!
"Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; aos que crêem no seu nome."(João 1:12)
Hoje é seu aniversário Espiritual!
Um dia do qual vai quere sempre se lembrar!
"Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus" (João 1.13)
Ao nascer fisicamente, o dia de seu nascimento foi atestado por uma "Certidão de Nascimento"
Então, hoje, para ajudá-lo a se lembrar do que Deus tem feito em sua vida, neste dia importante assine e guarde a seguinte certidão:
CERTIDÃO DE NASCIMENTO ESPIRITUAL
"Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor, será salvo"
Sabendo que tenho pecado e preciso do Senhor Jesus Cristo como meu Salvador, arrependo-me dos meus pecados e coloco toda a minha confiança nele para a vida eterna. Peço perdão e libertação do poder do pecado e aceito o presente da vida eterna que Jesus Cristo me oferece.
Convido-O a morar no meu coração e ser o Senhor da minha vida. Hoje e para sempre, assim como Ele me dá forças procurarei servir-lhe e obedecer-lhe em tudo.
Data:____/____/____
Assinatura:_________________________________
E Agora?
Assim como um recém-nascido cresce fisicamente, você vai crescer espiritualmente, por seguir estes passos:
1) Ler um capítulo do evangelho de João na BÍBLIA, cada dia.
"Desejai ardentemente, como crianças recém-nacidas, o genuíno leite espiritual, para que por ele vos seja dado o crescimento para salvação."(1 Pedro 2.2)
2) Marcar um encontro com Deus diariamente, para Orar.
"Não andeis ansiosos de cousa alguma; em tudo porém seja conhecidas diante de Deis a vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças." (Filipenses 6:6)

3) Freqüentar uma igreja que lhe ensine a Bíblia e que honre a Jesus Cristo, dando-lhe oportunidade para ADORAÇÃO.
"Alegrei-me quando me disseram: vamos à casa do Senhor" (Salmos 122:1)
"Deus é espírito, e importa que os seus adoradores, o adorem em espírito, e em verdade" (João 4:24)
4) Ter COMUNHÃO com outros crentes que o ajudarão a crescer na fé.
"Então os que lhe aceitaram a palavra...perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no parti do pão e nas orações"(Atos 2:41,42)

5) TESTEMUNHAR aos outros aquilo que Jesus Cristo significa para você! JESUS disse: "Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também, eu o confessarei diante do meu Pai que está nos céus. Mas aquele que me negar diante dos homens, também eu, o negarei diante do meu Pai que está nos céus" (Mateus 10:32,33)
Lembre-se, finalmente, de freqüentar com regularidade uma igreja que ensine a Bíblia e adore a Jesus Cristo. Fale de sua nova fé em Cristo para o pastor da igreja e pergunte como se tornar um membro da comunidade.
"Não deixemos de congregar-nos como é de costume de alguns; antes façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o dia se aproxima" (Hebreus 10:25)
Se você gostou desta mensagem de boas novas, comunique-se conosco. Gostaríamos de saber daquilo que Deus tem feito em sua vida e ajudá-lo a crescer espiritualmente.
Se precisar de qualquer esclarecimentos, estaremos a seu inteiro dispor. Por favor, escreva para nós.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Ide e Pregai o Evangelho a toda Criatura


“Marcos 16,15-E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.”
Sabe queridos, hoje em dia tem se falado muito em missões e mais ainda na volta de Jesus para buscar sua noiva, os sinas estão ai, as profecias acontecendo, mas pouco tem se feito para alcançar as vidas que ainda não conhece de fato e de verdade o amor de Deus, o amor de Jesus Cristo, poucas pessoas sabe do sacrificio de Jesus por nós, algumas ate sabem, mas não sabe o valor que teve esse sacrificio, e nós temos não o direito mas o DEVER de levar o evangelho de Jesus Cristo a toda criatura, Jesus não disse para esperarmos as pessoas virem ate a igreja para se converterem a Jesus, não Jesus disse ide e pregai o Evangelho a toda criatura. Jesus disse IDE porque ele sabia que as pessoas não iriam vir ate nós para saberem do amor de Deus por eles,Jesus disse ide, pois ele sabia que satánas iria endurecer os corações a ponto de cegalos da verdade, a biblia nos diz em 2°Co 4.4 Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus.Mas hoje em dia nós temos nos acomodados facilmente com as situções e temos deixado de fazer o que Jesus nos mandou fazer, quero fazer um desafio a você amigo e irmão em Cristo que lê esse artigo, quero lhes desafiar a pregarmos junto o Evangelho de Jesus Cristo a toda criatura, a não mais esperarmos pelos outros, se agarre com o Espirito Santo que ele ira lhe ajudar a ganhar almas pra Jesus e você ira se sentir cada vez mais util para o Reino de Deus.
Que Deus lhe Abençoe e fale com você atraves desse humilde artigo, vamos juntos queridos em “Defesa do Evangelho”Fp 1.17